CTLOG DISCUTE SAFRA 2019/2020 E MODELO AMERICANO DE FERROVIAS

As expectativas de produção de soja e milho na safra 2019/2020, as mudanças previstas nas licitações de concessões rodoviárias e o modelo ferroviário americano foram assuntos na 69º Reunião Ordinária da Câmara Temática de Infraestrutura e Logística (CTLOG).  O encontro foi nesta quarta-feira, 25, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em Brasília.

O modelo americano de operação e concessão de ferrovias foi abordado por João Arthur Mohr, da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP).  Até 1930, as ferrovias eram responsáveis por mais de 60% da matriz de transportes nos EUA. As concessões ferroviárias são vitalícias e as empresas americanas trabalham mais com tráfego mútuo do que com direito de passagem. Segundo Mohr, foi realizada uma missão empresarial para os Estados Unidos, com o objetivo de observar a maneira como é conduzido o modal ferroviário no país e, quem sabe, adotar algumas práticas para os trilhos brasileiros. Atualmente, o Brasil transporta apenas 15% de cargas em ferrovias, e o principal produto transportado é o minério de ferro.

Thomé Guth, gerente de Produtos Agropecuários da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), falou sobre a relação entre EUA e China e afirmou que as negociações comerciais entre os países devem demorar a se normalizarem.

Sobre o milho, em escala mundial, o consumo deve subir e a produção deve ser menor que na safra anterior. No Brasil, a estimativa é de que sejam colhidas 101 milhões de toneladas do grão na safra 2019/2020. Sobre as exportações, as médias têm sido mais altas em quase todos os meses de 2019, em comparação com os últimos cinco anos.

Para a soja, a previsão é de que a produção brasileira seja a segunda maior da série histórica, com 122 milhões de toneladas.

Edeon Vaz falou sobre as mudanças previstas nas concessões de rodovias. O modelo atual foi adotado sob oferta do menor valor de pedágio. A nova metodologia proposta é de “quem dá mais” no valor de concessão e oferece, ao mesmo tempo, a menor tarifa de pedágio.

O consultor logístico da Confederação da Agricultura do Brasil (CNA), Luiz Antônio Fayet, falou sobre as dificuldades que podem surgir para o agronegócio caso o novo modelo seja aprovado. Edeon Vaz sugeriu que a Câmara faça uma moção à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, posicionando-se contra o novo modelo, e reforçando o apoio do setor ao modelo atual de concessão, de menor tarifa.

O presidente da Câmara falou ainda sobre a BR-163, que de Sinop a Miritituba faltam apenas 15 quilômetros para serem pavimentados. A previsão é que a pavimentação seja finalizada ainda neste ano.

A próxima e última reunião da CTLOG será em 20 de novembro.

Fonte: ACEBRA

Compartilhe com seus amigos!