COM MAIS DE R$ 1 BILHÃO PARA O SEGURO RURAL, PLANO SAFRA 2020/2021 É LANÇADO

Com um valor total de recursos de R$ 236,3 bilhões, o Plano Safra 2020/2021 foi lançado na tarde desta quarta-feira, 17, em Brasília. O evento, realizado no Palácio do Planalto, contou com a presença de membros do alto escalão do governo federal, como o presidente da República, Jair Bolsonaro, e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

MAIS RECURSOS


O Plano Safra 2020/2021 teve um aumento de R$ 13,5 bilhões no volume de recursos, em relação ao plano anterior. Os produtores rurais poderão contratar os financiamentos entre 1º de julho de 2020 e 30 de junho de 2021. Do total de R$ 236,3 bilhões, R$ 179,38 bilhões serão destinados para custeio e comercialização, 5,9% a mais que na safra passada, e R$ 56,92 bilhões serão destinados para investimentos, um aumento de 6,6% em relação ao plano anterior.

PRONAF E PRONAMP


O Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) contará com R$ 33 bilhões para financiamento para pequenos produtores, com juros de 2,75% e 4% ao ano, para custeio e comercialização.  Já para o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), serão disponibilizados R$ 33,1 bilhões para médios produtores rurais, com taxas de juros de 5% ao ano para custeio e comercialização. De acordo com o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio, “o Pronaf é sempre prioridade”, e nesse Plano Safra, o Pronamp teve “um aumento mais expressivo” de recursos. Para os grandes produtores, a taxa de juros será de 6% ao ano.

SEGURO RURAL E ARMAZENAGEM


Com um aumento de 30% em relação ao plano anterior, o valor dos recursos para a subvenção ao Prêmio do Seguro Rural chegou a R$ 1,3 bilhão, o maior montante da história do seguro rural. O valor deve possibilitar a contratação de 298 mil apólices, num montante segurado da ordem de R$ 52 bilhões e cobertura de 21 milhões de hectares. Para a construção de armazéns, o Plano Safra 2020/2021 disponibilizará R$ 2,2 bilhões. Para o financiamento de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas, a taxa de juros é de 5% ao ano.

MELHORES CONDIÇÕES


A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ressaltou que este Plano Safra conta com “mais recursos, melhores condições de financiamentos e juros mais baixos”. Ela também lembrou que, graças ao trabalho do agro e das áreas de transporte e logística, o Brasil manteve o abastecimento em todo o país e honrou os compromissos com seus parceiros comerciais durante a pandemia do novo coronavírus, e afirmou que “nós, brasileiros saberemos valorizar mais quem trabalha no campo e faz chegar a comida em nossa mesa” após o fim da pandemia. Tereza Cristina pontuou ainda que a agricultura “será um dos principais motores na retomada econômica após a covid-19”.

Acesse aqui a apresentação do Plano Safra 2020/2021.

 

Texto: Marília Souza/ACEBRA

Compartilhe com seus amigos!